6 de março de 2012

OLIMPIO ALEGRE PINTO

Só o suave veludo
Da pétala e da cor
De negro vermelho
Da rosa perfeita...

Da mais bela flor!

Faz preito!

Em lágrima de orvalho
Com incenso sentido
Em íntima dor
Com orgulho contido...

E é par da excelsa flor!

Do cardo
De púrpura vestido.

- A mais nobre cor!
A do manto que cobre
O soldado caído
Por Honra morrido
Exangue de seu sangue
De púrpura sofrido!

Olímpio A. Alegre Pinto
(Novembro 1970)

3 comentários:

Lima Duarte disse...

Poema vivido, poema sentido, poema homenagem, só possível às almas grandes e profundas. Um abraço.

olimpio pinto disse...

Com a mais sincera modéstia pelo texto...
Com grande orgulho pelo passado com os meus Camaradas...

Obrigado.

manuel aldeias disse...

lindo e belo poema, os meus parabens
Manuel Aldeias